O que é ceratocone?

O ceratocone é uma alteração na córnea que causa seu afinamento. A córnea fica mais pontuda, o que resulta em alterações visuais.

A doença tem origem genética, e estima-se que afete de 1 a 2% dos brasileiros ainda na adolescência ou juventude.

Quer entender melhor as causas, sintomas e formas de prevenção dessa doença? Então continue a leitura. 

Afinal, o que é ceratocone? 

O afinamento da córnea causa uma instabilidade a ponto de ela se deformar e perder o formato regular e redondinho como se fosse uma bola, e tornar-se pontuda, como uma bola de futebol americano.

O ceratocone progride com o ato de coçar os olhos, portanto, a principal orientação para pacientes portadores de ceratocone é não coçar os olhos.

Quais os sintomas? 

Em alguns casos, a doença pode ser completamente assintomática. 

Pacientes portadores de miopia, por exemplo, muitas vezes nem sabem que possuem ceratocone. O diagnóstico só é possível através do exame de topografia de córnea

Já para os casos que apresentam sintomas, os mais comuns são: 

– Desfoque da visão (podendo evoluir com o agravamento da doença);

– Aumento da sensibilidade à luz (fotofobia);

– Dificuldades para enxergar à noite;

– Dificuldades para realizar atividades rotineiras, como ler e dirigir;

– Visão dupla (diplopia);

– Surgimento ou aumento de miopia e astigmatismo.

O que o ceratocone pode causar?

Ele diminui a qualidade da visão e a acuidade (detecção daquilo que é pontiagudo) visual. 

Dificuldade para enxergar para longe é mais comum, mas a dificuldade de enxergar para perto também pode aparecer. 

Geralmente os primeiros sintomas aparecem na adolescência, mas também podem se manifestar em jovens e adultos, até os 40 anos. Depois disso, é raro, 

O afinamento da córnea pode causar: 

  • Miopia (mais comum);
  • Astigmatismo (muito comum);
  • Hipermetropia (mais raro).

Como tratar o ceratocone?

A ceratocone não tem cura e os danos causados à córnea não são reversíveis. Os tratamentos propostos visam melhorar a qualidade de vida do paciente, bem como evitar a progressão da doença.

Nos casos assintomáticos, não é necessário nenhum tratamento, porém, o paciente deve fazer acompanhamento para evitar a progressão da doença.

Já nos casos que apresentam perda na qualidade da visão, existem algumas alternativas possíveis.

Óculos é o principal tratamento para qualquer dificuldade visual causada por algum tipo de grau em nossos olhos. Pacientes podem ter uma boa visão com uso de óculos, porém ele não corrige as alterações cromáticas.

Lentes de contato costumam ser o melhor tratamento para ceratocone leve a moderado. Uma adaptação bem feita pode deixar o paciente com uma visão normal.

Alguns pacientes não conseguem se adaptar ao uso de lentes de contato ou a própria lente de contato não consegue resolver o problema refrativo. Nestes casos, o anel intraestromal torna-se uma boa alternativa para melhora visual.

Para casos mais graves, o CrossLink Corneano é um procedimento cirúrgico que torna a córnea mais rígida e evita que o problema aumente, além de muitas vezes, causar regressão da doença.

O transplante de córnea com certeza é a última opção, porém, ainda é muito realizado em pacientes graves.

Quem tem ceratocone pode ficar cego?

Apenas nos casos mais graves da doença. Que geralmente vêm acompanhados de falta de cuidado e acompanhamento especializado. 

De forma geral, é possível lidar bem com a condição seguindo as recomendações do seu oftalmologista. 

A melhor forma de detectar e tratar a ceratocone é com o diagnóstico e acompanhamento de um especialista de sua confiança. Isso nos leva a próxima pergunta: qual  foi a última vez que você foi ao oftalmologista? 

Autor

Dr. André H. Agnoletto

Oftalmologista

CRM-RS: 33745 | RQE: 30028

Fontes

Mayo Clinic – Keratoconus.